O serviço leitura do contador é prestado pelo Operador da Rede de Distribuição.

Será direcionado para o site da EDP Gás Distribuição.

O serviço gestão de ocorrências é prestado pelo Operador da Rede de Distribuição.

Será direcionado para o site da EDP Gás Distribuição.

Formado por uma mistura de hidrocarbonetos leves, o gás natural é mais limpo (menos poluente), económico, eficiente e seguro do que os outros tipos de energia fóssil.

Isto quer dizer que ao ser queimado emite menos substâncias que prejudicam o meio ambiente. É transportado por condutas instaladas no subsolo, reduzindo o movimento dos camiões e a poluição do ar. Substitui o uso da lenha, evitando o abate de árvores e outros tipos de combustíveis poluentes como o carvão e o petróleo.

É considerado a alternativa energética do futuro e a mais ecologicamente correta de que podemos dispor, numa escala compatível com as elevadas necessidades energéticas da Humanidade a nível global.

É a Natureza quem mais beneficia com o uso do gás natural. Mas a mudança começa em si.

  • Vantagens

    O gás natural apresenta diversas vantagens, tais como:

    Ecológico

    O gás natural é a fonte de energia mais limpa e ecológica no universo das energias fósseis/convencionais, contribuindo para a redução dos gases de efeito de estufa (GEE) e para uma melhoria da qualidade do ar, quando substitui outras fontes de energia mais poluentes. Os produtos resultantes da sua queima são inodoros, isentos de óxido de enxofre e partículas de fuligem.

    Eficiente

    Pelo facto de não sofrer transformações e de as perdas no seu transporte serem mínimas, chegando ao local de utilização praticamente na forma em que é encontrado na natureza, é mais eficiente que a maioria das outras fontes de energia.
    A chama azul produzida pelo gás natural é forte e constante, permitindo cozinhar com maior eficiência e em menos tempo.
    O fornecimento de gás natural é constante, pois o sistema é permanente e não está sujeito a quebras.

    Seguro

    O facto de o gás natural ser mais leve do que o ar faz com que, em caso de fuga, se dissipe rapidamente na atmosfera.
    A distribuição do gás natural é feita através de redes construídas com o máximo rigor e com as tecnologias mais avançadas: chega aos locais de consumo através de condutas, o que evita o armazenamento e elimina o uso de botijas e os riscos inerentes à utilização destas.
    Sendo um gás inodoro, é misturado com um produto que lhe introduz um cheiro próprio para que seja facilmente detetada a sua presença em caso de fuga nas canalizações. 

    Económico

    O preço do gás natural é competitivo quando comparado com as demais formas finais de energia, tais como os gases de petróleo liquefeitos (canalizados ou de garrafa), reduzindo significativamente os seus custos energéticos mensais.
    O gás natural permite prolongar a vida útil dos equipamentos, apresentando uma baixa emissão de gases ácidos e compostos de enxofre, que os corroem.


    Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

  • Aplicações

    O gás natural tem vindo a assumir um papel cada vez mais relevante no contexto energético: é uma fonte energética económica, flexível, polivalente, com excelentes características ambientais, tornando-se assim um produto com uma amplitude de aplicações muito vasta, desde a produção de eletricidade, calor ou frio até à utilização nos transportes.


    Em casa, o gás natural pode ser utilizado para cozinhar, lavar e secar, na obtenção de água quente, aquecimento e climatização. O gás natural oferece economia com equipamentos modulares que podem adaptar-se a grande parte das necessidades existentes.

    • Os fogões a gás natural, por exemplo, vêm equipados com sistemas que cortam a passagem de gás se a chama se apaga.
    • Os fornos a gás natural são programáveis, dispõem de autolimpeza e acendimento automático. O vapor de água da combustão do gás permite, nestes fornos, que os alimentos não fiquem ressequidos.
    • Os esquentadores a gás natural produzem água quente de imediato, funcionando somente quando é necessário, o que permite uma economia máxima de energia. Os acumuladores armazenam água quente para quando há necessidade, em vários pontos e em grande quantidade.
    • As caldeiras de elevado rendimento são reguláveis e programáveis, aquecendo a água que circula em circuito fechado nos radiadores ou convetores que compõem o sistema, proporcionando assim o conforto necessário a qualquer momento e não consomem ar do interior da habitação.
    • Por outro lado, há ainda máquinas de lavar louça e roupa a gás natural, que usam água aquecida por caldeira ou esquentadores, conseguindo substancial economia de tempo e dinheiro.

    O gás natural tem também vindo a ser cada vez mais utilizado nos transportes, nas suas duas formas de abastecimento: o GNL (gás natural liquefeito) e o GNC (gás natural comprimido). Existem soluções de abastecimento dos veículos domésticos, empresariais (para pequenas frotas) e públicos, estando Portugal a dar passos importantes no sentido de infraestruturar o país com estações de enchimento capazes de responder à procura.

    Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

  • Curiosidades

    • O gás natural é extraído de jazidas naturais subterrâneas, muitas vezes associadas a jazidas de petróleo;
    • O transporte do gás natural desde as jazidas aos centros de distribuição faz-se por gasoduto ou por via marítima (GNL, ou gás natural liquefeito, transportado em barcos metaneiros);
    • O gás natural utilizado em Portugal é proveniente, praticamente na totalidade, da Argélia (chegando ao nosso país através de um sistema de gasodutos que ligam Portugal ao norte de África). É também importado da Nigéria (GNL – Gás Natural Liquefeito que entra em Portugal pelo Terminal Metaneiro de Sines);
    • Tem vindo a ser desenvolvida tecnologia para a extração do gás natural através de outras técnicas, como o shale gas (gás de xisto). O gás natural também pode ser produzido a partir de fontes renováveis, através do aproveitamento de recursos endógenos como o vento e os detritos, o que reforça a sua vertente ecológica.

    Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

  • Consumo eficiente

    O gás natural é uma energia ecológica, uma vez que se trata de um recurso disponível diretamente na natureza: é usada no seu estado natural, sem transformações ou tratamentos. Produz uma combustão limpa e as emissões de dióxido de carbono são baixas. Como qualquer recurso energético, o gás natural deve ser utilizado eficientemente, sem desperdícios: lembre-se de que o consumo racional de energia tem reflexo, não só na sua economia, como na preservação do meio ambiente!   

    Siga as nossas dicas simples de poupança:


    1. Nos fogões e placas a gás utilize sempre recipientes com uma base de diâmetro superior ao do disco. Caso não seja possível, regule a chama de acordo com a dimensão do recipiente, para que a chama não seja maior do que o fundo do recipiente. Assim, maximizará o aproveitamento do calor e evitará desperdícios de energia.

    2. Evite desperdícios de gás e de água utilizando corretamente as torneiras misturadoras monocomando. Quando abertas na posição central fornecem sempre uma mistura de água quente e fria, mesmo quando apenas precisa de água fria e não se apercebe de que está a ser aquecida. Para minimizar desperdícios, faça o seguinte:

    a) Verifique sempre, antes de abrir a torneira, se esta se encontra totalmente puxada para a posição de fria ou quente, consoante o que pretende; 
    b) Quando pretender água temperada, comece por abrir a torneira totalmente na posição de quente, regulando-a gradualmente até à temperatura desejada. 

    3. Regule os equipamentos de aquecimento ambiente para uma temperatura de, aproximadamente, o dobro da temperatura de utilização desejada. Desta forma, poderá manter um nível de conforto agradável com um menor tempo de funcionamento dos equipamentos, evitando perdas energéticas.  

    Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.